8 milhões de brasileiros já adotaram documento que vai substituir RG

A vida dos cidadãos brasileiros está prestes a ficar mais simples com a implementação da nova Carteira de Identidade Nacional (CNI), que já foi distribuída para mais de 8 milhões de pessoas em todo o país. Esta nova versão incorpora tecnologias de ponta e vai substituir gradualmente as carteiras de identidades regionais.

Entre as principais facilidades proporcionadas pela nova CNI, está a unificação do Registro Geral (RG) com o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), tornando este último o único número de identificação civil necessária para quase todas as transações e registros. Este movimento é parte de uma estratégia nacional para simplificar a burocracia e melhorar a eficiência dos serviços públicos.

Além de adotar o CPF como identificador único, a nova carteira apresenta outras inovações significantes. Um exemplo é a inclusão de um QR Code e de um código MRZ (Machine Readable Zone), comum em passaportes, que aumentam a segurança contra fraudes e roubos. O QR Code permite uma rápida verificação da autenticidade do documento.

Como obter a nova identidade

Para solicitar a emissão da nova CNI, os requisitos são simples. Os cidadãos devem apresentar a certidão de nascimento ou de casamento, que podem ser submetidos tanto em formatos físicos quanto digitais. A primeira emissão e as renovações do documento são gratuitas, realizáveis mediante aplicativo gov.br. Contudo, há uma taxa para aqueles que escolherem a versão em plástico da carteira.

A transição para o novo sistema de identificação será feita de forma gradual e planejada. Está prevista para se estender até 2032, período durante o qual as versões antiga e nova da CNI serão consideradas válidas. A partir de 28 de fevereiro de 2032, apenas a nova versão será oficialmente reconhecida. Assim, é fundamental que todos os brasileiros estejam atentos aos prazos e procedimentos para a atualização de seus documentos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.