Fim do RG: descubra como modernizar sua carteira de identificação nacional

O procedimento é 100% gratuito e já pode ser feito em diversos Estados

A partir deste ano, o Brasil dá um passo significativo rumo à unificação dos documentos de identificação dos seus cidadãos: a implementação da nova Carteira de Identidade Nacional (CIN). Pensando nisso, nesta matéria, vamos explorar o que essa novidade representa e como ela simplificará muitas tarefas diárias dos brasileiros.

A  nova CIN se destaca pelo uso do CPF como número único de identidade, invalidando os diversos números de Registro Geral (RG) emitidos por Estados diferentes. Essa unificação visa diminuir as incidências de fraudes e facilitar o reconhecimento oficial dos cidadãos em todo território nacional.

Em linhas gerais, transformar o CPF no número único na nova CIN é uma estratégia eficaz para otimizar a gestão de identidade nacional. Isso tornará mais eficiente o acesso a diversos serviços públicos e privados, além de reforçar a segurança, prevenindo fraudes identitárias.

Vantagens do novo modelo

  • 1. Unificação dos documentos por meio do número do CPF;
  • 2. Inclusão de outros documentos essenciais diretamente na CIN;
  • 3. Opções de formato físico e digital;
  • 4. Emissão gratuita da primeira via.

Vale mencionar que os  interessados em adquirir a nova CIN devem se dirigir aos órgãos de identificação de seus respectivos estados com documentos como certidão de nascimento ou casamento e o RG antigo para solicitar o novo documento.

Carteira Digital

A versão digital da CIN, que pode ser acessada por meio do aplicativo Gov.br (disponível para Android e iOS), oferece comodidade e segurança adicionais aos cidadãos brasileiros. A carteira digital evita a necessidade de carregar múltiplos documentos e, consequentemente, protege os dados do usuário com modernos sistemas de criptografia e validação como o QR Code.

A CIN será emitida em duas versões: física e digital, que possuem o mesmo layout e segurança. A versão física, em papel ou em policarbonato, atende aos que não possuem acesso à internet, smartphones ou computadores. Já o documento em formato digital é obtido por meio do aplicativo Gov.br, mas somente após a emissão da carteira física.

Para verificar a autenticidade do documento, a CIN possui um QR Code, que poderá ser lido por qualquer cidadão e vai permitir checar se a identidade é autêntica e se foi furtada ou extraviada.

Sou obrigado a realizar a troca?

A implementação da CIN vem sendo feita em grande parte do Brasil, estando pendente em apenas três Unidades Federativas (UF). Neste sentido, é importante checar com os órgãos responsáveis a disponibilidade exata em seu Estado. O RG antigo, por sua vez, continua válido até 2032, garantido que todos os cidadãos tenham tempo adequado para fazer a transição sem pressa.

Com a implementação da nova CIN, o governo brasileiro não só facilita a vida dos seus cidadãos mas também fortalece a eficiência dos processos governamentais e privados, representando um compromisso contínuo com a modernização e a segurança digital.

Padrão internacional

A nova identidade segue padrões internacionais e possui o código MRZ — o mesmo do passaporte, que permite a entrada em países do Mercosul com maior facilidade. Para as demais nações, ainda é exigida a apresentação do passaporte. O novo passaporte brasileiro, com mecanismos adicionais de segurança e novo layout  entrará em vigor ainda em 2022. Não haverá mudança no valor da emissão e o prazo de validade continuará sendo de 10 anos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.