CUIDADO! Esta bebida muito comum é a mais cancerígena, diz ciência

Aqueles que a consomem com frequência podem desenvolver a doença com mais facilidade

O portal Cancer FactFinder, da Escola de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, costuma fornecer informações sobre a causa do câncer, orientando as pessoas que procuram sobre a enfermidade. Inclusive, recentemente, o site alertou sobre o consumo de uma bebida cancerígena, que vem aumentando o número de casos de vários tipos da doença.

Ainda de acordo com o portal, há um forte consenso na Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (IARC) de que o uso de álcool é um cancerígeno do Grupo 1, isto é, que afeta os seres humanos. Nas próximas linhas, confira todos os detalhes sobre o informe divulgado pelo Cancer FactFinder.

Qual é a ligação do álcool com o câncer?

Quando consumimos álcool, ele é metabolizado pelo fígado em uma substância química chamada acetaldeído. O componente, por sua vez, é altamente tóxico e cancerígeno, visto que ele pode danificar o DNA das células e impedir que estas se reparem adequadamente. Consequentemente, esse dano pode levar ao desenvolvimento de células cancerosas.

O processo de metabolização do álcool também gera radicais livres, que nada mais são do que moléculas instáveis que podem causar danos às células do corpo humano. Esse dano, conhecido como estresse oxidativo, pode contribuir para a formação de câncer ao alterar o DNA e outros componentes celulares fundamentais para o bom funcionamento do organismo.

Além disso, o consumo excessivo de álcool pode aumentar os níveis de estrogênio no corpo, um hormônio que está ligado ao desenvolvimento de cânceres como o de mama. Ou seja, altos níveis de estrogênio podem estimular o crescimento de células cancerosas nos tecidos mamários.

Tipos de câncer atrelados ao álcool

  • 1. Cabeça e pescoço: pessoas que bebem com moderação têm risco 1,8 vezes maior de desenvolver câncer de cavidade oral e faringe (garganta) e risco 1,4 vezes maior de câncer de laringe (cordas vocais) se comparado com aqueles que não consomem bebidas alcóolicas. Já os que bebem com frequência, segundo o National Cancer Institute, têm risco cinco vezes maior de câncer de cavidade oral e faringe e risco 2,6 vezes maior de câncer de laringe.
  • 2. Esofágico: em comparação com aqueles que não bebem álcool, o risco varia de 1,3 vezes maior para bebedores moderados. No entanto, chega a quase cinco vezes mais para os que exageram na bebida alcóolica.
  • 3. Fígado: o consumo excessivo de álcool está associado a um risco aproximadamente duas vezes maior de dois tipos de câncer de fígado.
  • 4. Mama: o aumento do risco de câncer de mama é maior em bebedores moderados (1,23 vezes mais) e bebedores pesados (1,6 vezes mais).
  • 5. Colorretal: o consumo moderado a pesado de álcool está associado a um risco de 1,2 a 1,5 vezes maior de câncer de cólon e reto, em comparação com o não consumo de álcool. Isso porque a bebida alcoólica pode causar inflamação e dano ao revestimento do intestino e, consequentemente, contribui para o desenvolvimento da doença.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.