Fim do saque-aniversário? Entenda decisão chocante do Governo

Veja o que pode mudar caso a proposta seja aprovada no Congresso Nacional

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) trata-se de um benefício trabalhista garantido para os cidadãos que exercem suas atividades laborais de carteira assinada. Inclusive, o recurso está prestes a passar por mudanças bem significativas, afetando todos os contemplados.

Recentemente, o Governo Federal anunciou uma proposta que visa acabar com a modalidade do saque-aniversário do FGTS, substituindo-a por uma nova forma de empréstimo consignado com condições especiais. A medida faz parte de um esforço para otimizar o uso do Fundo e proporcionar melhores condições financeiras aos trabalhadores.

Do que se trata o saque-aniversário

Como o próprio nome indica, a modalidade permite que o trabalhador retire uma fração do saldo disponível no FGTS anualmente, durante o mês de seu aniversário. Nos dias de hoje, essa opção traz uma flexibilidade maior na gestão das finanças pessoais. No entanto, ao que tudo indica, o Governo Federal deseja redirecionar o saque-aniversário para modelos que ajudem de forma mais ampla o beneficiário, como o acesso a créditos com custos reduzidos.

O novo modelo desenvolvido, conhecido como consignado social, será parecido aos empréstimos consignados já disponíveis para servidores públicos e segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), atendendo, também, os trabalhadores de carteira assinada. O objetivo é facilitar o acesso de beneficiários em linhas de crédito com taxas de juros mais baixas, utilizando como garantia parte do saldo reservado no FGTS.

Em que pé anda a implementação do consignado social?

  • 1. Legislação: o projeto ainda precisa ser aprovado no Congresso Nacional;
  • 2. Acessibilidade: ainda é preciso definir as normas para que os trabalhadores demitidos consigam acessar o Fundo em novos termos;
  • 3. Recursos já comprometidos: cerca de R$ 100 bilhões em recursos do FGTS estão comprometidos com empréstimos já existentes, o que pode complicar a liquidez do novo sistema;
  • 4. Infraestrutura digital: a operacionalização do sistema necessitará de uma infraestrutura digital robusta, algo que o Governo Federal planeja integrar com plataformas como o e-Social e o sistema do FGTS.

Apesar do projeto ainda estar sendo elaborado, é de suma importância que os trabalhadores fiquem atentos às novas informações relacionadas ao Fundo. Isso porque qualquer alteração pode impactar diretamente suas finanças pessoais e opções de crédito. Logo, mantenha-se atualizado sobre os desdobramentos e leve em consideração como esses eventuais ajustes podem influenciar o seu planejamento financeiro.

Por que haverá mudanças?

De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), a transição para o consignado social tem o potencial de agraciar os trabalhadores ao disponibilizar empréstimos com custos menores aos praticados pelo mercado. Em outras palavras, isso se traduziria em maior poder de compra e gestão financeira para milhões de cidadãos brasileiros, além de incentivar a economia por meio do aumento do consumo e investimento pessoal.

Como sacar o FGTS?

  • 1. Verifique se você está apto para o saque em situações específicas, como desastres naturais ou condições particulares estabelecidas pela legislação brasileira;
  • 2. Veja o saldo disponível em sua conta do FGTS;
  • 3. Use o aplicativo do FGTS (disponível para Android e iOS) ou dirija-se até uma agência da Caixa Econômica Federal (CEF) para fazer a retirada.
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.