Chocante! Alagamento em Porto Alegre é registrado por satélite da NASA

A maior catástrofe da história da região foi captada pela agência espacial norte-americana

A NASA, famosa agência espacial dos Estados Unidos, publicou na última quinta-feira (9) uma imagem de satélite do centro de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul (RS), depois que a capital gaúcha ficou alagada com as fortes chuvas que atingiram o Estado.

No registro, é possível ver a água que vaza das margens do rio Jacuí e invade rodovias próximas à Arena Grêmio, ao centro histórico e ao Aeroporto Salgado Filho, interditado até 30 de maio e sem previsão para retornar as atividades. Confira a imagem compartilhada pela NASA:


RS NASA
Chocante! Alagamento em Porto Alegre é registrado por satélite da NASA 2

De acordo o último balanço realizado pela Defesa Civil gaúcha, as chuvas já deixaram 107 mortos e 136 pessoas desaparecidas. Os temporais atingiram 425 dos 497 municípios gaúchos desde 28 de abril e afetaram mais de 1,4 milhão de pessoas.

Em Porto Alegre, capital do RS, as enchentes tomaram o centro histórico e diferentes bairros do município. O prefeito Sebastião Melo (MDB) pediu aos moradores que deixassem os locais afetados depois de o lago Guaíba atingir marca histórica e superar os 5 metros.

O estádio Beira-Rio, do Internacional, e a Arena Grêmio ficaram completamente inundados. No segundo caso, o local era utilizado para reunir desabrigados na cidade, mas precisou ser evacuado com o cenário. Ao menos 200 pessoas foram remanejadas.

Tornado é registrado no Rio Grande do Sul

De acordo com o portal Terra, foi registrado no RS, em meio à tragédia das chuvas, um tornado. O fenômeno se formou no último sábado (11), na zona rural do município de Gentil, no norte do Estado; não há registros de feridos.

Moradores gravaram o tornado avançando sobre o campo e atingindo árvores; segundo a MetSul Meteorologia, as imagens indicam uma intensidade entre F0 e F1, de até 180 Km/h. O número de mortos em decorrência das enchentes e temporais no Rio Grande do Sul subiu para 143 no domingo (12), segundo dados do boletim da Defesa Civil gaúcha.

Formação de um tornado

De acordo com a MetSul, tornados são fenômenos meteorológicos extremos e destrutivos caracterizados por colunas de ar em rotação intensa que se estendem da base de uma tempestade para a superfície da Terra. Esses redemoinhos violentos são conhecidos por sua capacidade devastadora, capaz de causar grande destruição em segundos a minutos. Abaixo, veja um breve resumo de como eles são formados:

  • 1. O ar quente e úmido sobre do solo, acompanhado de ventos fortes;
  • 2. O ar quente se choca com o ar frio e seco e é criado um turbilhão descendente de uma nuvem tormenta;
  • 3. O turbilhão entra em contato com o solo;
  • 4. Um movimento giratório aumenta criando uma poderosa coluna de ar ascendente;
  • 5. A aceleração da rotação cria uma força destrutiva por onde quer que passe.

A título de curiosidade, a maioria dos tornados se deslocam a uma velocidade média de 16 a 32 km/h, com ventos que podem alcançar os 400 km/h. Os fenômenos geralmente se formam em áreas onde massas de ar quente e úmido encontram massas de ar frio e seco, criando condições ideais para o desenvolvimento desses vórtices.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.